A VidaClass é a favor da vida!

Graças à iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e do Conselho Federal de Medicina (CFM), desde 2014, o mês de setembro é marcado pela campanha “Setembro Amarelo” contra o suicídio. Com o intuito de valorizar a vida, a mesma promove o incentivo à procura de ajuda médica especializada, à conscientização sobre o comportamento suicida e à autopreservação.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o suicídio é a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos de idade e cerca de 800 mil pessoas suicidam-se todos os anos.

Dados também confirmam que o enfrentamento de conflitos, abusos, perdas, desastres, violência e a dificuldade em lidar com estresses diários, como a falta de dinheiro, doenças de parentes e amigos e términos de relacionamentos estão relacionados ao comportamento suicida.

Outros agravantes que elevam as taxas em nível global é a sensação de isolamento e a discriminação sofridos por grupos de pessoas homossexuais, refugiadas, indígenas e privadas de liberdade.

Tais fatores estão associados ao desenvolvimento dos distúrbios mentais, como a depressão e o transtorno de ansiedade que, de acordo com a ABP, representam 96,8% das causas de morte por suicídio.

É primordial o esclarecimento da sociedade, de profissionais da saúde e de governos de que problemas e disfunções que afetam a mente necessitam de tratamentos como qualquer outro tipo de doença. O cérebro é um dos órgãos mais importantes para o funcionamento do corpo e está sujeito a problemas patológicos, tanto quanto qualquer outro órgão.

Consultar-se frequentemente com um profissional especializado é indispensável e necessário para se ter e manter uma boa saúde mental. A atenção adequada, a consulta com psicólogos, psicanalistas e psiquiatras, a empatia e a compreensão de familiares e amigos são fundamentais quando o assunto é a prevenção do suicídio.

O Centro de Valorização da Vida (CVV) disponibiliza 24 horas por dia, 7 dias por semana, um atendimento de apoio emocional sob sigilo e respeito via telefone, chat e e-mail. A ajuda também pode ser feita pessoalmente por voluntários da instituição nos postos de atendimento espalhados pelo país. Ligue 188 ou acesse o site: https://www.cvv.org.br/ e saiba mais! 

Semana Mundial da Amamentação

Ato vital para a saúde do bebê, a amamentação protege-o de infecções, auxilia no desenvolvimento e traz qualidade de vida tanto para a mãe, quanto para a criança.

Dados da Organização Mundial da Saúde mostram que o leite materno diminui o risco de morte por diarreia, pneumonia e alergias nos primeiros dias de vida do recém-nascido.

O leite materno, além de nutrir, libera o hormônio da ocitocina, conhecido como o “hormônio do amor”, criando um laço importante de carinho entre o bebê e a mãe!

A longo prazo, os benefícios são inúmeros. Bebês que foram amamentados estão menos propensos a apresentar excesso de peso e obesidade ao longo da vida. O aleitamento melhora o QI e o desempenho escolar da criança, diminui o risco de câncer de mama das mães e reduz os custos para as unidades de saúde.

A amamentação é um processo natural. Porém, todas as mães enfrentam dificuldades diferentes durante e após o parto. Problemas como a insônia, a perda do apetite, a irritabilidade intensa e a depressão pós-parto podem acontecer e devem ser respeitadas. As mães que estiverem enfrentando alguma dessas situações devem ter todo o auxílio profissional e apoio dos amigos e parentes próximos!

O incentivo e o encorajamento ao aleitamento materno salvam vidas!

Mês de Combate as Hepatites Virais

Segundo a Organização Mundial da Saúde, pelo menos 400 milhões de pessoas estão infectadas no mundo todo com algum tipo de hepatite.

Diante da preocupação com a situação de saúde pública mundial, relacionada às causas e aos riscos dessas doenças, durante a 63ª Assembleia Mundial de Saúde, a OMS instituiu a data de 28 de Julho como o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais. O intuito é chamar a atenção para o perigo da infecção e aumentar a conscientização da população e dos profissionais da saúde acerca do tema.

Hepatite é o termo designado para a inflamação no fígado e pode ter diversas causas. Infecção pelos vírus tipos A, B, C, D e E, pelo uso excessivo de drogas, como o álcool e remédios e por outras doenças genéticas e autoimunes.

A infecção das Hepatites A e E, é oral-fecal. Ela se dá através da ingestão de água ou alimentos contaminados pelos vírus e isso é consequência das condições precárias de saneamento básico ainda presente em muitos lugares do país e da falta de higiene no preparo dos produtos alimentares. Por isso, higienize e cozinhe bem o que vai ingerir, principalmente a carne de porco.
Já a infecção das Hepatites B, C e D é causada pelo sangue e, também pelo sexo sem proteção. Previna-se, usando camisinha nas relações sexuais e não compartilhe seringas, lâminas de barbear, escovas de dentes, agulhas e alicates. A transmissão também se dá de forma vertical, ou seja, durante gravidez ou no parto.
Dados do Ministério da Saúde mostram que a Hepatite C é responsável por mais de 70% dos óbitos decorrentes das hepatites virais no Brasil e a Hepatite B é responsável por mais de 20%.
Apenas as hepatites A, B e D possuem vacinas para prevenir a infecção. As hepatites B e C têm tratamentos específicos e, em todas as ocasiões de infecção, um médico deverá ser consultado.

Muitas vezes, essas doenças são silenciosas e não apresentam sintomas, o que é um grande risco à saúde, pois a infecção pode evoluir e causar sérios problemas ao fígado, como a cirrose e o câncer. Porém, é preciso sempre ficar atento a eles: cansaço, pele e olhos amarelados, febre, vômito, enjoo, tontura, mal-estar, fezes claras, urina escura e dor abdominal.
O Ministério da Saúde informa que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente testes para diagnósticos e tratamentos para todos os tipos de Hepatites, independentemente do grau de lesão do fígado.

Dia Mundial do Doador de Sangue

Em 2004, a Organização Mundial da Saúde estabeleceu que 14 de Junho é o dia Mundial do Doador de Sangue. O objetivo é reforçar a importância desta ação altruísta, incentivar quem ainda não doa e homenagear aqueles que são voluntários nesta prática solidária.

O sangue doado é usado em procedimentos cirúrgicos, atendimentos de emergência e tratamentos que dependem de transfusões sanguíneas.

Se você tem entre 16 e 69 anos de idade, está em bom estado de saúde e pesa mais de 50kg você pode se tornar um doador. Fique atento também à última vez em que doou. Para homens, o intervalo mínimo é de 60 dias, podendo doar 4 vezes ao ano. Para as mulheres é de 90 dias, podendo realizar no máximo 3 doações ao ano.

No dia em que for doar, não esqueça o documento com foto original expedido por algum órgão oficial. Disponibilize 2 ou 3 horas na sua agenda para dar tempo de fazer todos os processos com calma e segurança e, lembre-se, os menores de idade precisam da autorização dos responsáveis para doar.

Fique tranquilo, o procedimento é seguro! Os postos de coleta são adequados e cumprem as normas de saúde. Utilizam materiais descartáveis, portanto sem risco de contaminações. E não se preocupe, o sangue doado é reposto pelo organismo em até 24 horas após a doação! Procure o hemocentro ou posto de coleta mais próximo de você e seja um doador! Sua doação pode salvar até quatro vidas.

Quem doa sangue, doa vida.

Cuidados com a saúde Pós Carnaval

É comum praticarmos alguns excessos com o nosso corpo no Carnaval, mas com o fim da folia, não podemos deixar a nossa saúde de lado.

A ingestão exagerada de bebidas alcoólicas, a exposição contínua ao sol e muitas horas em pé causam dores, desidratação e cansaço.

É sempre bom nos atentarmos aos sinais que o próprio corpo nos envia e não esquecer alguns cuidados básicos. Por isso, manter uma alimentação saudável, beber água constantemente, adequar o sono, passar protetor solar diariamente e praticar exercícios, podem te ajudar a evitar o mal-estar e algumas doenças.

Consultar-se com um profissional da saúde especializado e agendar exames são muito importantes para prevenir e tratar doenças sexualmente transmissíveis, que se proliferam com mais facilidade nessa época do ano. Não deixe para depois o que é prioridade! Lembre-se sempre de usar camisinha, além de te livrar das DSTs, é o método contraceptivo mais eficaz que existe. Fazer o check-up anual é a melhor maneira de não ter incômodos e dores de cabeça no futuro.

Hidrate-se e durma bem, isso melhora a circulação sanguínea e o funcionamento dos órgãos vitais. A variedade de frutas, legumes, verduras, carboidratos e fibras, aliada a exercícios físicos, vão te ajudar a manter um bom sistema imunológico e fornecerá a energia e disposição de que você precisa!

O Carnaval acabou, mas a diversão pode continuar em todas as outras épocas do ano, basta se precaver e ter como meta uma rotina mais leve e saudável! Afinal, garantir uma boa qualidade de vida durante o resto do ano, é a certeza de que o próximo Carnaval será maravilhoso se depender de você!

Carnaval: folia e prazer com responsabilidade!

Em 2019, o carnaval será apenas em março, mas os blocos e festas de aquecimento já começaram. É muito tempo para aproveitar ao máximo a folia! Além dos cuidados que a estação e as temperaturas elevadas exigem, como ingerir bastante líquido pra hidratar o corpo e passar protetor solar, é importante não esquecer das precauções no que diz respeito às relações sexuais.

Comemorações carnavalescas podem ser palco de memórias inesquecíveis, de muita diversão e alegria. Geralmente também é um momento de muita paquera e contatos íntimos casuais, mas é sempre bom lembrar que sexo sem proteção pode causar uma série de doenças sexualmente transmissíveis, as famosas DSTs, ou até mesmo uma gravidez indesejada.

Cada um tem o direito de aproveitar as festas da maneira que preferir e sem julgamentos alheios. Afinal, é época de curtição! Mas é possível tirar proveito da farra, evitando eventuais problemas futuros.

Em primeiro lugar, andar com uma cartela de camisinha não ocupa espaço e faz uma grande diferença, já que se trata do método de prevenção mais eficaz. É importante usar camisinha não apenas no sexo vaginal, como também no sexo oral e anal. Doenças como a gonorréia podem ser transmitidas até mesmo no ato da masturbação.

Suas vacinas estão em dia? Inclusive a da HPV? Grande parte das DSTs podem ser evitadas com a camisinha, como a sífilis e o HIV, entretanto a HPV também pode estar em áreas como o saco escrotal, necessitando de mais cuidados.

Lembre-se sempre: a pílula anticoncepcional não protege de doenças sexualmente transmissíveis, somente reduz a chances de engravidar. Ela sozinha não garante a proteção que você precisa.

Algumas das doenças que podem ser contraídas, caso não haja cuidado incluem:

– Sarna
– HIV/Aids
– HPV
– Doença Inflamatória Pélvica (DIP)
– Cancro Mole
– Sífilis
– Clamídia e Gonorréia
– Donovanose
– Hepatite
– Vaginite
– Chatos
– Herpes
– Linfogranuloma Venéreo
– Tricomoníase

É possível ter responsabilidade e prazer ao mesmo tempo. A dica que fica é tomar precauções simples, porém extremamente efetivas. Não precisa abrir mão da festa para ter saúde, basta saber se preparar!

 

Dezembro Laranja: Previna-se e não sinta na pele as consequências!

Em dezembro, chega o verão. Com as festas e feriados de fim de ano, logo sonhamos com praia, água de coco, picolé e muito sol. Dias quentes e ensolarados podem renovar nossas energias, mas é preciso ter cuidado.

É por isso que, desde 2014, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) deu início ao Dezembro Laranja, movimento de combate ao câncer de pele, ajudando a alertar a população sobre os perigos da exposição sem proteção ao sol.

 

O dano solar começa cedo, é silencioso e comum

O câncer de pele é muito comum. Cerca de 1 em cada 4 casos diagnosticados de câncer são de pele, o que representa 25% de todos os casos. A dica para descobrir é conhecer a sua pele e ficar atento às mudanças, como surgimentos de novas pintas e pequenas alterações ou alergias.

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que surjam 165.580 novos casos de câncer não melanoma entre 2018 e 2019. Na tentativa de reverter esses números, a campanha conta com ações de conscientização em praias e parques, distribuição de filtro solar e informação sobre medidas fotoprotetoras durante todo o verão.

 

“Pegue um bronze”, mas não se queime

O tema de 2018 continua sendo um trocadilho entre a exposição solar e a exposição nas redes sociais. Os usuários são estimulados a fazer postagens com roupas laranjas, usando a hashtag #DezembroLaranja.

 

Como se proteger?

Felizmente, o câncer de pele é curável, com chances muito maiores se descoberto cedo. Para prevenir, algumas atitudes simples podem fazer uma grande diferença. Usar protetor solar diariamente, é claro, é uma delas. Também é importante evitar a exposição solar, especialmente entre 10h e 16h e usar camiseta, chapéus de abas largas e óculos de sol.

 

Previna-se e não sinta na pele as consequências

A doença pode ser melanoma, no qual o tumor afeta as células responsáveis por produzir a melanina (podendo provocar metástase), ou não melanoma, mais comum e menos agressiva.

Fique de olho na sua pele e procure um médico especializado caso note alguma pinta ou mancha nova no corpo, não esquecendo de observar também se houver alguma mudança de tamanho, de cor ou a presença de bordas irregulares e borradas.

Lembre-se que o risco de desenvolver um câncer de pele é maior em pessoas de pele clara e que o histórico familiar é importante.

Não deixe de consultar um dermatologista e mantenha uma rotina preventiva.

Suicídio: é preciso falar abertamente sobre este assunto. No Setembro Amarelo e durante o ano inteiro.

Desde que o movimento Setembro Amarelo foi criado, em 2015, estima-se que milhares de vidas já tenham sido salvas, direta ou indiretamente. Mas, mais do que isso, são famílias inteiras que voltaram a ter um melhor convívio com seus entes próximos por manter um diálogo aberto sobre este tema.

Muitos dizem que o suicídio é uma doença silenciosa. Ela não apresenta sintomas visíveis, não causa incômodos diretos… ela apenas vai se aproximando aos poucos até tomar conta da pessoa a ponto de fazê-la tomar tão trágica decisão.

 

Conscientização, muita conversa e olho vivo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser evitados se fossem feitas mais ações de conscientização e prevenção. Conversas francas podem ajudar a abrir portas fechadas há muito tempo em um relacionamento familiar.

 

Mas o que leva uma pessoa a essa decisão extrema?

Não existe uma causa específica que leve uma pessoa a tirar sua própria vida, mas alguns fatores contribuem como a depressão, o uso de drogas e álcool, doença crônica ou terminal, doença neurológica como Mal de Parkinson, esquizofrenia, psicose, doença psiquiátrica familiar, transtorno bipolar, perdas recentes como o emprego ou de um ente querido, desespero, falta de esperança ou desamparo.

 

Os jovens precisam de mais atenção.

Os jovens são os mais atingidos em decorrência desse estado de sofrimento. No Brasil, o suicídio é a quarta causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos e ocupa a oitava colocação no ranking em número absoluto de casos. A cada 45 minutos um brasileiro tira sua própria vida e a cada 40 segundos uma pessoa se suicida no mundo, totalizando mundialmente, 1 milhão por ano. Esse número supera o de mortes por homicídios e guerras juntos.

 

Quais os sinais que mostram essa tendência suicida?

Não existem regras mas, normalmente, uma tristeza excessiva e falta de ânimo para conviver com outras pessoas, sejam familiares ou amigos; alterações de comportamento como uso de roupas diferentes do habitual ou atitudes não usuais; perda de apetite; expressar-se de forma rude ou dramática com frases como “eu queria sumir daqui”, “preferia morrer”, entre outras.

 

Como podemos ajudar?

Esteja sempre aberto a conversar com seus amigos e familiares ao menor sinal de depressão. Em geral, as pessoas deprimidas tendem a se fechar ainda mais e não acham isso um problema. É preciso que as pessoas ao redor fiquem sempre atentas para detalhes nas mudanças de comportamento ou personalidade. Tentativas de suicídio são, muitas vezes, atos impulsivos. Uma forma de ajudar na prevenção é retirar todo o material que possa ser utilizado para se suicidar, como armas, comprimidos ou facas dos locais onde essa pessoa passa mais tempo. Isto evita comportamentos de impulsividade, fazendo com que se tenha mais tempo para pensar numa solução menos agressiva para os problemas.

Se você conhece alguém que está demonstrando alguns dos comportamentos aqui falados, não feche os olhos para essa situação. Ofereça ajuda ou busque a ajuda de um profissional. Um psicólogo pode auxiliar na identificação dos sinais e trabalhar para a reversão dessa situação.

Você sabe que com Vida Class você tem a sua disposição excelentes psicólogos por valores muito acessíveis. Não hesite em marcar uma consulta.

E acompanhe sempre a gente aqui no blog para mais dicas de saúde e bem-estar. 😉

5 motivos para iniciar o ano cuidando da saúde da sua família

“Prevenir é melhor que remediar”, já dizia o ditado tão repetido por nossas avós e que têm toda a razão. Por isso, começar o ano cuidando da saúde da família é um modo de prevenir doenças e surpresas desagradáveis.

Além disso, é importante checar a própria saúde para que seja possível cuidar das pessoas que você ama, não é verdade?

Fazer consultas e exames com médicos e especialistas anualmente, mesmo sem apresentar nenhum sintoma, permite monitorar o organismo e verificar se está tudo bem com ele.

Neste post, trouxemos 5 motivos para iniciar o ano cuidando de você e de sua família. Confira!

1. Ter uma vida mais tranquila

Saber que está tudo certo com a saúde da família nos traz mais tranquilidade, não é mesmo? Afinal, ela é o bem mais precioso que temos.

Além disso, saber que estamos bem para cuidar dela também é essencial para que possamos ter mais disposição para enfrentar as dificuldades do dia a dia e, claro, curtir e ter momentos felizes ao lado das pessoas que amamos.

2. Aumentar a expectativa de vida

Longevidade é algo que muitas pessoas buscam, ainda mais quando a família é dependente delas. Para isso, ter uma alimentação equilibrada, praticar exercícios físicos regularmente e sempre consultar o médico para conferir como vai a saúde são formas eficazes de aumentar a expectativa de vida e, assim, passar longos anos saudáveis ao lado dos entes queridos.

3. Evitar problemas futuros

Mesmo que você talvez ainda não identifique sintomas, várias doenças e alterações no organismo podem ser detectadas somente fazendo exames clínicos físicos, de imagem e laboratoriais.

Dessa forma, é possível tratar as alterações antes que evoluam para algo mais grave, sendo o diagnóstico precoce, muitas vezes, decisivo nas chances de cura.

4. Zelar pela saúde da família

Começar o ano fazendo um checkup é uma ótima estratégia, já que as crianças ainda estão de férias escolares e isso facilita na hora de levá-las às consultas e aos exames, podendo ter mais horários para marcá-los.

Além disso, a sua saúde também é muito valiosa para elas, portanto, é importante que esteja bem e saudável para que continue passando a segurança que elas têm em você.

5. Economizar nos custos

Você deve estar se perguntando: mas e os custos do checkup? Eu não tenho plano de saúde!

Bom, a maioria deles é composta de exames simples e rotineiros, além da consulta. Aliás, você não precisa de plano de saúde quando tem, à sua disposição, as empresas que oferecem esses serviços com qualidade e preço acessível, podendo pagar somente pelo que realmente está usando.

Tenha em mente que isso é um investimento em que você paga agora, mas que evita grandes gastos mais tarde, pois, tratar de doenças quando já estão apresentando sintomas pode sair mais caro por demandar mais consultas médicas e exames mais complexos.

Cuidar de você e da saúde da família é mais fácil do que parece. Basta manter hábitos saudáveis, incluindo fazer exames clínicos e consultas todos os anos para verificar se está tudo bem com vocês.

Quer saber como encontrar serviços médicos de qualidade e com preços acessíveis? Entre em contato conosco e saiba como podemos ajudá-lo!

Cuidar da saúde no carnaval: 4 dicas para aproveitar bem o folia

É só piscar os olhos que o carnaval já estará aí outra vez! Festas, praia, música e muita folia  essa época do ano pode ser divertida, mas também é uma velha conhecida dos excessos!

Mas, então, como cuidar da saúde no carnaval? Neste post, vamos dar dicas para você se divertir, mas sempre cuidando do seu bem-estar físico e mental!

Continue a leitura e confira!

1. Mantenha-se hidratado

Fevereiro, por si só, já é um mês em que é necessário reforçar o consumo de água por causa do extremo calor; ainda pulando carnaval, nem se fala! Para aguentar os blocos e as festas carnavalescas, só ingerindo muito líquido. Se você bebe álcool, tente intercalar a bebida com água, pois o álcool desidrata. Além disso, ainda vai evitar a ressaca do dia seguinte. Seu eu futuro agradece!

O ideal é consumir, pelo menos, dois litros por dia, mas esse número varia de acordo com cada indivíduo. Sucos naturais, chás e frutas também são bem-vindos, apenas tome cuidado com a quantidade de açúcar. Outras opções de hidratação são água de coco e bebidas isotônicas, como o Gatorade, que repõem sais minerais perdidos na folia.

2. Proteja-se do sol

Chapéus, óculos escuros e muito protetor solar — essas são as recomendações para não voltar para casa com queimaduras e atrapalhar os dias de festa. Especialistas incentivam a aplicação do protetor antes de sair e, em seguida, sua reaplicação a cada duas horas, ao longo de todo o período de exposição, especialmente por causa de toda a transpiração que provavelmente ocorrerá durantes as festas.

A escolha das roupas — ou fantasia! — também é importante. Dê prioridade às de tecido mais leve e às cores claras e use o que for mais confortável. Desde que não prejudique o visual, é claro!

3. Use preservativo

Carnaval é aquele período em que todo mundo está mais descontraído, mais relaxado e descuidos podem acabar acontecendo. Porém, a responsabilidade com seu corpo e sua saúde deve sempre ser uma prioridade. Use e exija sempre o uso da camisinha!

O preservativo ainda é o principal método para evitar a transmissão de doenças, como HIV, herpes e sífilis, entre outras. Além disso, é um dos contraceptivos mais seguros disponíveis. O Ministério da Saúde distribui camisinhas gratuitamente em blocos de carnaval e postos de saúde durante o ano todo.

4. Alimente-se bem

É comum que, durante a semana de carnaval, a gente descuide um pouco mais da alimentação e acabe comendo o que encontrar pela frente ou nem comendo nada. Mas, para ajudar o corpo a aguentar toda essa programação pesada, é preciso que ele tenha o combustível certo.

Priorize alimentos leves e de fácil digestão, como saladas frescas, e evite refeições pesadas e gordurosas demais. Ao comer na rua, preste atenção à conservação dos alimentos e evite aqueles que estão expostos ao sol por um longo período, principalmente os que contêm maionese, molhos e carnes.

Agora você já está preparado para dançar as marchinhas numa boa! Cuidar da saúde no carnaval é importante para uma vida mais saudável. Curtiu as nossas dicas? Então siga-nos nas redes sociais e receba outras informações como essas! Estamos no Facebook, no Instagram e no LinkedIn!