Cuidados com a saúde Pós Carnaval

É comum praticarmos alguns excessos com o nosso corpo no Carnaval, mas com o fim da folia, não podemos deixar a nossa saúde de lado.

A ingestão exagerada de bebidas alcoólicas, a exposição contínua ao sol e muitas horas em pé causam dores, desidratação e cansaço.

É sempre bom nos atentarmos aos sinais que o próprio corpo nos envia e não esquecer alguns cuidados básicos. Por isso, manter uma alimentação saudável, beber água constantemente, adequar o sono, passar protetor solar diariamente e praticar exercícios, podem te ajudar a evitar o mal-estar e algumas doenças.

Consultar-se com um profissional da saúde especializado e agendar exames são muito importantes para prevenir e tratar doenças sexualmente transmissíveis, que se proliferam com mais facilidade nessa época do ano. Não deixe para depois o que é prioridade! Lembre-se sempre de usar camisinha, além de te livrar das DSTs, é o método contraceptivo mais eficaz que existe. Fazer o check-up anual é a melhor maneira de não ter incômodos e dores de cabeça no futuro.

Hidrate-se e durma bem, isso melhora a circulação sanguínea e o funcionamento dos órgãos vitais. A variedade de frutas, legumes, verduras, carboidratos e fibras, aliada a exercícios físicos, vão te ajudar a manter um bom sistema imunológico e fornecerá a energia e disposição de que você precisa!

O Carnaval acabou, mas a diversão pode continuar em todas as outras épocas do ano, basta se precaver e ter como meta uma rotina mais leve e saudável! Afinal, garantir uma boa qualidade de vida durante o resto do ano, é a certeza de que o próximo Carnaval será maravilhoso se depender de você!

Dezembro Laranja: Previna-se e não sinta na pele as consequências!

Em dezembro, chega o verão. Com as festas e feriados de fim de ano, logo sonhamos com praia, água de coco, picolé e muito sol. Dias quentes e ensolarados podem renovar nossas energias, mas é preciso ter cuidado.

É por isso que, desde 2014, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) deu início ao Dezembro Laranja, movimento de combate ao câncer de pele, ajudando a alertar a população sobre os perigos da exposição sem proteção ao sol.

 

O dano solar começa cedo, é silencioso e comum

O câncer de pele é muito comum. Cerca de 1 em cada 4 casos diagnosticados de câncer são de pele, o que representa 25% de todos os casos. A dica para descobrir é conhecer a sua pele e ficar atento às mudanças, como surgimentos de novas pintas e pequenas alterações ou alergias.

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que surjam 165.580 novos casos de câncer não melanoma entre 2018 e 2019. Na tentativa de reverter esses números, a campanha conta com ações de conscientização em praias e parques, distribuição de filtro solar e informação sobre medidas fotoprotetoras durante todo o verão.

 

“Pegue um bronze”, mas não se queime

O tema de 2018 continua sendo um trocadilho entre a exposição solar e a exposição nas redes sociais. Os usuários são estimulados a fazer postagens com roupas laranjas, usando a hashtag #DezembroLaranja.

 

Como se proteger?

Felizmente, o câncer de pele é curável, com chances muito maiores se descoberto cedo. Para prevenir, algumas atitudes simples podem fazer uma grande diferença. Usar protetor solar diariamente, é claro, é uma delas. Também é importante evitar a exposição solar, especialmente entre 10h e 16h e usar camiseta, chapéus de abas largas e óculos de sol.

 

Previna-se e não sinta na pele as consequências

A doença pode ser melanoma, no qual o tumor afeta as células responsáveis por produzir a melanina (podendo provocar metástase), ou não melanoma, mais comum e menos agressiva.

Fique de olho na sua pele e procure um médico especializado caso note alguma pinta ou mancha nova no corpo, não esquecendo de observar também se houver alguma mudança de tamanho, de cor ou a presença de bordas irregulares e borradas.

Lembre-se que o risco de desenvolver um câncer de pele é maior em pessoas de pele clara e que o histórico familiar é importante.

Não deixe de consultar um dermatologista e mantenha uma rotina preventiva.

Novembro Azul: É importante quebrar o preconceito e combater o câncer de próstata!

Com o fim de ano se aproximando, chega também a campanha de conscientização Novembro Azul. Conhecida internacionalmente como Movember, foi iniciada em 2003, na Austrália, por meio da iniciativa de um grupo de amigos que deixou o bigode crescer com o intuito de chamar a atenção para o câncer de próstata, além de outras doenças comuns em homens.


Durante todo o mês, diversas entidades ao redor do mundo realizam ações com o objetivo de conscientizar a população e garantir o diagnóstico precoce da doença. O movimento chegou ao Brasil em 2008, a partir da iniciativa do Instituto Lado a Lado pela Vida em conjunto com a SBU (Sociedade Brasileira de Urologia).
Entretanto, mesmo com o crescimento da campanha, o maior desafio continua sendo vencer o preconceito em relação ao exame de toque.

Câncer de Próstata em Números

Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), o câncer de próstata – um dos mais frequentes entre homens – é responsável por cerca de 60 mil novos casos por ano no Brasil.
E, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), é um dos três tipos que mais atingem brasileiros.  Estima-se que 1 a cada 6 homens pode ter câncer de próstata. Mas, assim como o câncer de mama, que também possui sua própria campanha de conscientização (Outubro Rosa), o câncer de próstata tem chance de cura quando diagnosticado mais cedo. E as chances são grandes: cerca de 9 em cada 10 casos.

Quais são os sinais?

Em alguns casos, o paciente pode sentir dor e necessidade constante de urinar. Na fase avançada, o câncer pode provocar dor nos ossos, infecção generalizada e até mesmo insuficiência renal.
Mas é aí que está o problema: na maioria dos casos, esse tipo de câncer não apresenta sintomas inicialmente. Por isso a prevenção é tão importante!

Como prevenir?

Uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e pobre em gorduras, especialmente de origem animal, pode ajudar a evitar o surgimento da doença. Atividades físicas, controle do peso corporal, diminuição do consumo de álcool e o abandono do hábito de fumar também são recomendados.
A melhor maneira de evitar que o câncer evolua é fazer o exame de toque retal e o exame de sangue PSA, garantindo assim o diagnóstico precoce.

Vencendo o preconceito

No caso do câncer de próstata, a idade é um fator de risco. Portanto, homens a partir de 45 anos devem realizar os exames anualmente. Porém, aqueles com histórico de casos na família devem procurar o urologista ainda antes.
Infelizmente, o preconceito ainda é o maior fator de dificuldade, que muitas vezes impede o diagnóstico a tempo. É importante não se esconder atrás dele.
Consulte um urologista, previna-se e ajude a combater essa doença!

 

Câncer de pele: confira 4 dicas para se prevenir!

A exposição diária ao sol pode trazer muitas complicações para a nossa saúde e o câncer de pele é a mais perigosa. Sendo o mais recorrente na população, esse tipo de câncer se caracteriza pelo crescimento anormal e descontrolado das células da pele. Dessa forma, todos os cuidados na prevenção contra o câncer de pele são necessários. 

A doença é muito comum no Brasil, sendo 25% dos tumores malignos identificados. Por isso, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) iniciou a campanha “Dezembro Laranja”, e a mensagem desse ano é “se exponha, mas não se queime”, chamando a atenção para os riscos da exposição exagerada ao sol.

O câncer pode surgir muitos anos depois do período de exposição e pode ser de vários tipos. Os mais comuns são os carcinomas (basocelular e epidermoide), com incidência mais alta, porém menos graves. Os melanomas são menos comuns, mas com maior risco de metástase — quando a doença se espalha para outras partes do corpo.

Com o verão chegando, é preciso ter atenção redobrada nos cuidados para uma pele saudável. Por isso, listamos 4 dicas práticas para prevenção contra o câncer de pele. Acompanhe!

Dicas práticas para prevenção do câncer de pele

1. Use protetor solar

A proteção solar deve ser iniciada precocemente. Recomenda-se o uso de filtro solar a partir dos 6 meses de idade e, antes disso, a criança não deve se expor aos raios UV sem a proteção de roupas e chapéus.

O fator de proteção do filtro solar não deve ser menor do que 15 e deve ser aplicado pelo menos 20 minutos antes da exposição. Se você estiver no clube ou praia, é preciso retocar o produto de tempos em tempos.

2. Escolha a hora correta

A radiação solar no período das 10 às 16 horas é mais agressiva. Por isso, expor-se ao sol nessas horas significa colocar a saúde da sua pele em risco. Então, evite totalmente a exposição nesses horários, protegendo-se com chapéus e se abrigando de baixo de uma sombra, sempre usando o filtro solar.

3. Fique atento à sua pele

Pessoas albinas ou ruivas, com pele e olhos claros, que tenham histórico familiar de câncer de pele e muitas pintas pelo corpo possuem maior risco de desenvolver a doença. Por isso, fique sempre de olho nas mudanças da sua pele, como aparecimento de manchas, mudanças de cor e verrugas.

4. Consulte um dermatologista

Procure um profissional quando você perceber alguma alteração em sua pele. Além disso, procure consultá-lo pelo menos uma vez ao ano para avaliar se sua pele sofreu algum dano e, assim, receber a orientação adequada para a prevenção do câncer de pele.

Sintomas

Os sintomas mais comuns em uma lesão maligna são a pele rósea, avermelhada ou escura e crescimento progressivo (mesmo que lento) da mancha. Além disso, a lesão pode aparecer como uma ferida que não cicatriza ou como pintas que crescem devagar, mas que coçam, sangram ou sofrem alteração de cor, consistência e tamanho. É valido lembrar que quanto mais cedo a doença for diagnosticada, maiores são as chances de cura.

Gostou das dicas para prevenção do câncer de pele? Então compartilhe nas suas redes sociais para que outra pessoa também possa cuidar de sua saúde.

7 boas práticas que ajudam a amenizar a celulite

A celulite é uma das preocupações estéticas que afeta cerca de 95% das mulheres após a puberdade e consiste em um depósito de gordura sob a pele, principalmente nos quadris, coxas e nádegas, que são locais nos quais a gordura está sob a influência do hormônio estrógeno.

Diversas suposições já foram apresentadas para a origem da celulite, mas ainda não estão cientificamente comprovadas. Entre suas possíveis causas estão os desequilíbrios hormonais, a intoxicação dos tecidos e a má circulação localizada. É certo, porém, que não depende da obesidade para ocorrer: existem mulheres magras com celulite.

Embora seja de ocorrência muito comum, existem algumas maneiras de reduzir sua incidência no corpo. Continue neste post e conheça 7 práticas que ajudam a amenizar a celulite.

1. Adotar uma atividade física

A prática de atividades físicas queima a gordura corporal e ativa a circulação sanguínea. São dois aspectos ligados diretamente ao surgimento da celulite e que podem ser trabalhados.

Você não precisa adotar a vida de um atleta. Caminhadas ativas com duração de 45 minutos, pelo menos 3 vezes por semana, vão contribuir muito para a solução.

2. Fazer exercícios físicos específicos

Além da atividade física regular, exercícios direcionados para as áreas específicas de ocorrência da celulite no corpo constituem uma das melhores iniciativas para sua eliminação. Em especial, séries de agachamento, que reforçam a musculatura das coxas e das nádegas, são as mais indicadas.

Assim, escolha uma série que seja mais adequada para você e pratique-a por cerca de 15 minutos, pelo menos em dias alternados. Se puder fazer todos os dias, os resultados chegarão em menos tempo.

3. Massagear as regiões afetadas

Trata-se de um exercício de automassagem: você cuidando de seu corpo. Pode ser feito com uma esponja ou com escovas próprias para o tratamento da celulite.

Massagens localizadas, feitas diariamente e com duração aproximada de 5 minutos, são suficientes para que você obtenha resultados muito bons. Portanto, incorpore essa prática na sua rotina de cuidados corporais e afaste a celulite.

4. Adotar uma alimentação saudável

Adotar uma alimentação saudável significa manter um cardápio variado, com ingestões regulares de frutas, verduras e legumes. Além disso, evite o máximo que puder consumir produtos industrializados no lugar de alimentos saudáveis.

Considere que a grande quantidade de conservantes, aromatizantes e outros ingredientes comumente utilizados na indústria alimentícia pode ser recebida pelo corpo como substâncias intoxicantes e facilitar as condições para o surgimento da celulite.

5. Beber água regularmente

Beba água regularmente, isto é, não fique longos períodos sem beber. A água é um importante carreador de toxinas para fora do organismo.

Assim, dê essa chance ao seu corpo de poder se livrar de tudo que ele mesmo rejeita. Seu organismo precisa da água sempre disponível para realizar esse trabalho.

6. Evitar roupas muito justas

Roupas muito justas prejudicam a regular circulação sanguínea e ajudam a promover a formação da celulite. Para a saúde do corpo, não há qualquer vantagem na utilização de roupas justas, com exceção para as meias elásticas compressivas. Essas evitam o agravamento da flacidez.

Veja o que é mais importante para você e decida-se por fazer o melhor.

7. Evitar bebidas alcoólicas

O consumo de álcool favorece o ganho de peso. Esse fato sempre caminha na direção provocativa para o surgimento da celulite.

Assim, o efeito do álcool, nesse caso, é semelhante ao desregramento alimentar, induzindo ao acúmulo de gordura corporal. E o que você deseja é amenizar a celulite, certo?

Você já sabe como tratar a celulite. Conheça agora 6 cuidados antes dos 30, que previnem o câncer de mama.