Dores no idoso: conheça as principais queixas na terceira idade

A cada ano, o correr dos dias contabiliza a passagem do tempo de cada um, até que a velhice chega tanto para nós, quanto para nossos entes queridos.

É verdade que o passar da idade traz consigo muitas alegrias: vemos os filhos crescerem, progredimos profissionalmente, viajamos, realizamos sonhos, entre tantas outras coisas. Mas também temos que estar preparados para o processo natural do envelhecimento do corpo, que muitas vezes acarreta dores no idoso.

O crescimento da fatia populacional com mais de 60 anos significa que aumentou também o número de pessoas, de ambos os sexos, que convivem com algum tipo de doença ou distúrbio típico da terceira idade.

Independentemente da idade, a dor significa que alguma coisa não está bem. O agravante no caso dos idosos é que a dor tende a ser mais intensa e mais recorrente e nem sempre é devidamente tratada pelos familiares e cuidadores, que deveriam sempre procurar a orientação de um médico geriatra.

Para entender melhor esse processo, confira abaixo quatro tipos de dores comuns nessa faixa etária.

Osteoartrose

A osteoartrose, que também é conhecida como artrose ou osteoartrite, é caracterizada por um processo natural de deterioração lenta e progressiva da cartilagem articular que recobre as extremidades ósseas e amortecem os impactos no joelho, quadril e ombros.

A doença atinge principalmente pessoas acima de 55 anos e as mulheres são afetadas mais cedo, devido às alterações hormonais próprias do envelhecimento feminino.

Familiares e idosos precisam estar atentos para procurar ajuda médica quando a dor e a sensação de rigidez se repetirem por vários dias. O tratamento é feito com exercícios, fisioterapia, anti-inflamatórios e analgésicos.

Artrite

É uma inflamação das articulações muito comum em idosos, que causa dor e rigidez. Também atinge predominantemente o sexo feminino, especialmente as idosas, embora também possa acometer mulheres mais jovens. Além da idade, é preciso estar atento a aspectos de excesso de peso, traumas e até mesmo genéticos.

O tratamento varia de acordo com a causa da artrite e consiste no uso de medicamentos prescritos pelo médico para aliviar as dores no idoso.

Distúrbios de coluna

Pessoas de todas as faixas etárias apresentam problemas de coluna. Entretanto, o maior número de indivíduos que enfrenta esse tipo de problema está na chamada terceira idade. Isso ocorre quando pessoas idosas apresentam alterações fisiológicas, como a diminuição da massa óssea, que geralmente leva à osteoporose, doença comum em mulheres.

O tratamento deve sempre ser indicado por um profissional especializado. Mas vale a pena investir nas boas práticas de postura (os exercícios de RPG – Reeducação Postural Global, por exemplo, podem ajudar muito), atividades físicas regulares e controle do peso corporal.

Doença Vascular Periférica

Com o avanço da idade, os vasos sanguíneos também sofrem modificações por degeneração natural ou derivada de fatores externos. As paredes das artérias engrossam e acumulam calcificações, tornando-se rígidas. Isso altera o fluxo sanguíneo, o que pode causar dor, especialmente nas pernas.

Esse quadro, aliás, pode levar a outras doenças, como hipertensão arterial ou pressão alta, como é mais conhecida.

O tratamento varia de acordo com as características e condições de cada paciente, o que exige avaliação e acompanhamento médico e pode ser conduzido com a utilização de medicamentos ou procedimentos cirúrgicos, dependendo do caso.

Se você gostou dessas informações e quer saber mais sobre envelhecimento, entre em contato com a gente.

 

As 5 doenças infantis mais comuns e como preveni-las

Você sabe quais são as doenças infantis mais comuns? No post de hoje, vamos detalhar 5 delas e mostrar o que fazer para afastá-las de nossos pequenos.

A partir do momento em que um bebê nasce e vai para os braços dos pais, uma coisa é certa: existem doenças que podem investir contra ele durante os primeiros anos de vida.

Com o sistema imune ainda em formação, toda a criança está exposta a quadros infecciosos causados por vírus e bactérias. Esse período exige cuidados, como o estímulo à amamentação e à alimentação saudável, além da necessidade de manter a vacinação sempre em dia.

Por isso, estar bem informado é fundamental. Confira, a seguir, o conteúdo que preparamos para vocês!

1. Gripe e resfriado

A gripe e o resfriado possuem características diferentes, embora ambos sejam causados por vírus. Quando gripados, os pequenos apresentam, normalmente, febre, coriza, prostração e mal-estar. Mantenha a criança vacinada, hidratada e alimentada. Evite ambientes com aglomeração de pessoas e, se for o caso, não as mande para escola ou para a creche.

Já em relação ao resfriado, os sinais são, apenas, febre baixa e coriza. No caso de alguém da família apresentar esses indícios, deve cobrir a boca e o nariz ao tossir e espirrar, além de lavar bem as mãos, constantemente.

2. Diarreia

A diarreia é uma infecção intestinal causada por vírus, bactérias ou parasitas. O principal sintoma é a eliminação frequente de fezes fluidas. O tratamento inclui a ingestão de líquidos e alimentos de fácil digestão.

Para prevenir, é essencial manter os cuidados com a higiene, além de evitar alimentos que podem ter sido expostos a agentes infecciosos.

3. Infecção de garganta

As doenças respiratórias, como a amigdalite — ou infecção de garganta, como é conhecida —, são causadas por vírus ou bactérias. Essa doença provoca falta de apetite, dor, febre, inchaço das amígdalas e mau hálito.

Pode ser evitada, mantendo o cuidado com o ambiente, que deve estar sempre limpo e livre de poeira, além de arejado. Evite o contato com pessoas que estejam gripadas, lembrando sempre de priorizar o sono, a alimentação e a hidratação. É recomendável visitar o pediatra e seguir à risca o tratamento prescrito.

4. Catapora

Assim como o sarampo, a rubéola e a caxumba, a catapora é causada por vírus transmitidos por meio da saliva. Os sintomas são febre, cansaço excessivo e manchas pelo corpo.

Embora esses sinais desapareçam, espontaneamente, em alguns dias, vale a pena procurar um pediatra, o qual receitará medicamentos que aliviam o incômodo provocado pela doença. É recomendável ingerir bastante líquido e evitar o contato com outras crianças. A vacina tetra viral, que previne a doença, deve ser aplicada quando o bebê completa 15 meses de vida.  

5. Otite

A otite — ou dor de ouvido — pode ser o resultado do acúmulo de secreção no canal auditivo, causado por gripes e resfriados ou, até mesmo, pelo leite materno, que costuma escorrer até o ouvido, provocando a proliferação de bactérias. Os principais sintomas são dor, incômodo e, nos recém-nascidos, choro intenso.

Já a otite externa ocorre quando o ouvido não é bem seco e acumula umidade. Nesse caso, é importante secar bem as orelhas com uma toalha macia. Em algumas ocorrências, pode ser necessário o uso de antibióticos ou outros medicamentos para tratar os sintomas.

Gostou deste artigo? Então continue navegando na nossa página e saiba mais sobre os benefícios do acesso particular à saúde.